MENSAGEM DE DEUS......

23/10/2010 18:51

I Cor 2: 17 - Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus. antes, em Cristo é que falamos na ´presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus.

A Bíblia é nosso manual, manual do criador, é nosso mapa.

(...) Quem são estes outros? Mercadejando a palavra de Deus...

O que vimos no texto anterior é que a vitÓria obtida pôr Jesus na Cruz é uma vitória partilhada conosco. Nos estamos sendo conduzidos na mesma vitória que Jesus obteu a quase dois mil anos atrás, essa morte foi nossa morte, estamos crucificados com Cristo, essa ressurreição foi nossa ressurreição, e a vitória de Cristo, é nossa vitória, é pôr isso que nos colocamos nossas vidas junto com nosso general que é Cristo, não se esqueçam esta pequenina frase que é tão paulino, “em Cristo, nos somos conduzidos em todo lugar nesse Triunfo de Jesus.”

Algo me mostrou no texto, não tinha percebido ainda, não tinha olhado, na tradução da linguagem de Hoje, que nos somos conduzidos como prisioneiros, isto é uma idéia Bíblica, não sei se é o contexto aqui e se justifica essa tradução, original deixa de fato aberto, e de que forma somos conduzidos, como prisioneiros ou membros do Exército de Cristo. Paulo uso as duas palavras, nos somos escravos do Senhor. A próprio idéia de Jesus ser Senhor, isto significa que nos somos escravos, e que estamos totalmente sujeitos a qualquer palavra ou vontade dEle.

Pôr outro lado Paulo usa também bastante a idéia de que somos soldados de Jesus, fazemos parte deste famoso Exército de Salvação, então o irmão escolhe o que acha melhor descrever sua vida, o acha que é prisioneiro de Cristo, ser conduzido como prisioneiro, tudo bem, se acha soldado de Jesus, tudo bem, depende de como você se acha. Se sua reação é assim de um prisioneiro revoltadíssimo, chateado, então você é prisioneiro de Cristo, mas se você é um soldado que com todo amor e vigor vai seguindo o seu Senhor, então você possa servir e ficar consciente de que é soldado do Senhor.

Agora no meio desse cortejo, desse desfile, aparece pessoas que não atitude certa. As vezes nos falamos de turistas no campo missionário. A palavra aqui não é bem turista, não tinha nem surgido a idéia de alguém a querer viajar só para viajar, ainda não entrou na cabeça do homem. O que entrou na cabeça, sim, foi interesses próprios que o ministério possa proporcionar. E a palavra mercadejar que nos encontramos aqui e que se faz contraste com o ministério de Paulo e seus colegas, e parece que faz contraste com o nosso ministério,. Esta palavra significa jogar água no vinho, tornar o vinho que tem uma certa consistência aguado. Aqui temos ministério aguado, mercadejando a palavra de Deus. Porque a gente jogaria água no vinho? porque que a gente mudaria a mensagem, para tornar a mensagem mais aceitável, contextualizando de uma forma anti-Bíblica, porque há uma contextualização Bíblica e uma contextualização anti-Bíblica. Há uma contextualização que torna a mensagem captível, ou captável, que dá para receber, engolir e tornar-se vida, mas também há uma maneira de transformar a mensagem numa charada, numa realidade que não traz vida . E me parece que este é o resto do Cp 3, de fazer este contraste. Tem duas maneiras de apresentar a chamada mensagem de Salvação. Jesus falou de fariseus, judeus que corriam o mundo inteiro como missionários, cruzaram o mar e deserto para fazer um só prosélito, mas depois de ganhar esse prosélito, transformaram-no num filho do diabo, duas vezes mais seguros num candidato para o inferno do que antes. Meus irmãos que palavra para nos chamar atenção, a possibilidade de cruzar o atlântico, cruzar o pacífico, cruzar a Amazônia, chegar numa terra e tornar nossos convertidos duas vezes mais seguros de chegar no inferno do que antes. Já estavam seguros, mas agora dá o carimbo, agora você mesmo vai. Pôr causa da maneira de como nós pregamos essa mensagem. Portanto nessa manha é nosso desejo que Deus nos chame nossa atenção, que há duas maneiras de pregar, duas maneiras de empacotar a mensagem da cruz. E uma maneira estraga, uma maneira destrói , outra maneira cria vida, nosso grande desejo, dependendo do Senhor é que nos ajuda a fazer distinção dessas duas maneiras de pregar o evangelho. Porque nós notamos que a pregação não é uma pregação desvinculada da vida, separada da vida, mas a vida é também pregação, a mensagem vem junto com a vida, para chegar até essas almas ainda que tenha possibilidade de escolher o caminho da salvação, “Os que estão sendo salvos”, para aqueles que estão perecendo.

Vejamos como Paulo coloca o seu ministério. V. 17 (...) Quatro características do ministério da Palavra segundo o Apóstolo Paulo escreve aqui.

1º) SUA PALAVRA É UMA PALAVRA EM CRISTO

Mas de cem vezes Paulo usa esta Palavra, ou Nele, Ele em nós, nós em Cristo. Os eruditos tem tentado destrinchar o significado de uma frase tão estranha. “EM CRISTO”, Estar em Cristo é uma idéia corporativa, significa de alguma forma estar dentro de um círculo de personalidade, uma frase que é muito difícil para nós perceber como o judeu podia perceber que está numa pessoa significa que essa personalidade se confunde com a sua, e a sua vida é parte de uma outra vida maior. A Bíblia descreve de uma forma bastante convincente que nossa salvação depende dessa incorporação dessa personalidade Cristo. E da mesma forma de que Cristo segue formado em nós. Lá nos primeiros versículos do Cap 3, descobrimos a Carta de Cristo precisa estar escrito na vida dos convertidos. Uma outra frase mais interessante aí, tremendamente desafiando para o ministério de qualquer pastor, de qualquer missionário - Gl 4: 19 (...) Paulo não usa a linguagem evangélica nova, “nossa” que a gente deve aceitar a Cristo, ele diz que a pessoa precisa receber a Cristo de uma forma que ele se torna uma realidade dentro da vida. Precisa haver uma carta de Cristo escrita no coração. A idéia tudo em torno dessa pequenina frase: “estar em Cristo”. Distinguir uma pessoa que está em Cristo, e alguém que esta fora de Cristo, é justamente o que está diante de nós neste texto. Aparentemente estes outros mercadejadores da palavra não estão em Cristo. São judeus provavelmente, pessoas muito interessados em aumentar o número de prosélitos, muitos interessados de ensinar, porque eles entendem ser a lei de Deus, segundo Moisés, eles estão interessados realmente em espalhar a sua religião, pensemos de alguns jovens sempre bem banhados, de camisa de manga curta, de gravatas, que andam pelas nossas ruas aqui no Brasil. Eu fico impressionado com este grupo de pessoas, sua dedicação, espalhando pôr todo lado, templo muito bem padronizados, não como muitos templos evangélicos que fazem até quase vergonha de ver, eles são nossos, mas estes não. Os irmãos sabem o que estou dizendo, o problema é estar em Cristo e não estar em Cristo, não tem nada a ver se a pessoa tomou banho esta manha e usa gravata, se ele está em Cristo ou não está. Se ele está espalhando uma mensagem que produz Cristo na vida, que forma Cristo, se há esta fertilização divina na vida que I Pe 1:23 (..) diz um germe divino trazido pela Palavra que produz a transformação maravilhosa de obediência a Cristo. Nós diz, o apóstolo Paulo, pregamos em Cristo. Naturalmente há outras facetas de capacidade de colocar em suas mentes nestas manha, A facete pôr exemplo que Cristo prometeu até a segunda vinda, que o fim desse intervalo exaltação da segunda vinda, dEle estar sempre com os seus discípulos genuínos. Que Ele nunca não nos abandonaria, nunca nos deixaria sozinhos neste ministério, Ele estará conosco, em nós e nós estaremos nEle. Imagina como está vida de Cristo em nós tem que ser uma realidade para que o poder de Cristo possa transformar vida. - I Cor 4. Estes mesmos leitores em que o apóstolo contrasta o seu ministério com uma exagerada descrição de milhares de tutores. Tutores são mestres que ensina o que eles entendem ser a palavra, mas não tendes muitos pais. Qual a diferença de pai-tutor é bastante óbvio de quem é pai. A criança que nasceu fertilizada pela aquele vida do pai, tem certa características do pai e da mãe. É uma maravilha esta reprodução que Deus nos permite repassar para uma nova criação. E esta linguagem agente se encontra em toda a Bíblia, e Paulo diz: “vós Corintos estão procurando reproduzir tutores” reproduzir-se pela paternidade.

2º) Nossa Palavra é pregada sempre na presença de Deus

Estamos em Cristo, segunda frase. Nossa Palavra é pregada sempre na presença de Deus, um hebraísmo que se eu não me engano quer dizer: “Diante da face de Deus”. É como se Deus tivesse olhando especificamente para a sua vida. Quando Carlos Ortiz , pregou em Recife, em 1983, que Deus tem para certas denominações, um certo carinho todo especial. Ele tem um cano lá no céu, Ele olha através desse cano para ver como essa denominação está andando. Essa passagem, um pouco mais específica ainda, diz que Deus tem um cano e está olhando para a sua vida e a minha. Diante de sua face , Ele está vendo exatamente como nós estamos ministrando. Ele está avaliando momento pôr momento esta mensagem, está avaliando este seu pensamento neste instante, está avaliando tudo que estamos fazendo dia e noite, estamos como diz o Apóstolo Paulo não vivendo em duas categorias fora de Cristo, fora das vistas de Deus, nas suas costas, e em outro tempo estamos ministrando diante de sua face. Amados irmãos é tão importante lembrarmos disso, porque normalmente estamos diante da face de nossos ouvintes, estou muito consciente da tua presença aqui esta manhã, muito mais do que estou consciente da presença de Deus. Isto deturpa a mensagem, coloca água no vinho, a gente contextualiza, eu quero falar para os irmãos querem ouvir, eu não quero falar nada que os irmãos querem não ouvir. Já imaginou. Imagine se eu falasse aqui aquilo que os irmãos não querem ouvir, todos vocês se levantariam, e eu seria grandemente envergonhado. Mas de fato isto não importa muito, o que importa é se aquilo que eu falo, aquilo que o irmão fala seja diante da face de Deus.

A 3º característica é que nós: FALEMOS COM SINCERIDADE

A palavra sincera é uma palavra tão conhecida, vem do latim sincerus, que era usado para tampar buracos, buracos naqueles vasos de argila queimada, que a gente levantava para o sol, no original a palavra é testada pelo sol”, em grego, então a gente olha para lá e vê se há qualquer falha, qualquer furo, qualquer buraco, e ai a gente vai pingar água dentro do fogo, e apagava o fogo. Sinceridade e a gente não ser furado, não ser apagado pôr qualquer estranho. Sincero é ser genuíno, integral, é viver de acordo com o que nós falamos, viver de acordo com o que nós pregamos. (exemplos...)

Paulo crer no que ele está pregando, naquilo que ele fala, sinceridade. Como gostaria de sermos sinceros e não interesseiros, de não ter segunda intenções queridos irmãos, que nossa mensagem tem que passar pôr águas cristalinas e não pôr deturpada, não como vinho aguado, mas com sinceridade.

4º - Paulo descreve o seu ministério como o ministério de Deus mesmo, ministério que vem diretamente de Deus, pôr intermédio de Deus, uma espécie de linha telefônica, pôr intermédio de algum canal. Paulo estava tremendamente consciente de que ministrar para Deus sem que Deus ministre pôr nosso intermédio não dá resultado nenhum. Se nosso ministério não vem da parte de Deus, vai cair, vai desaparecer, não terá consistência, permanência. Não fará aquilo que Deus quer que faça. A Bíblia diz e deixa muito claro que tudo é para a Graça. E esta frase da “parte de Deus”, fala de uma forma mais clara de que qualquer texto que eu possa levantar para os irmãos. Que tudo o que nós fazemos, e que vale a pena nós fazermos, não foi feito pôr nós, foi feito pôr Deus, pelo seu poder pôr nosso intermédio.

CONCLUSÃO

V. 17 -(...) 18 (...) Paulo diz que não há nenhum resultado, nenhum, que se pode atribuir a minha pessoa. O Apostolo se desliga de qualquer honra que podia ser passado para ele, reconhecendo apenas o fato de que Deus, pela sua graça, graça total, graça e somente graça utilizou um judeu criado aos pés de Gamaliel lá em Jerusalém, uma pessoa que deveria ir para o inferno como os outros judeus que não se converteram e se tornaram inimigos. E tudo isto Paulo só podia reconhecer a graça de Deus, não somente na nossa salvação, mas também no nosso ministério. Meu ministério diz Paulo: “Da parte do próprio Deus”.

Leia: II Coríntios 3

Fonte: http://www.revsimonton.kit.net